Como o corpo responde ao stress

A gestão do stress é um dos pilares de um estilo de vida saudável. De vez em quando todos nós sentimos stress. De facto, é tantas vezes, que poderemos pensar que estar stressado, ansioso, irritável, dependente de cafeína ou ter desejos parece ser normal no comportamento humano.

O que é que acontece quando estamos stressados?

Primeiro o corpo não distingue entre stress verdadeiro daquele que é percecionado, o que significa, não interessa que tipo de stress estamos a sentir, o corpo responde da mesma forma.

Quando o corpo perceciona stress, o sistema nervoso responde aumentando a batida do coração, o nível de glicose no sangue, a tensão muscular e a estamina. É o estado conhecido, como “lutar ou fugir”.

Nos dias correntes, sentimos estados de stress muito mais vezes e muito mais prolongados do que antes, e a forma natural de resposta do corpo, pode ser a raiz de alguns problemas de saúde incluindo fadiga, ganho de peso e desequilíbrio hormonal.

Vejamos de que forma o stress pode causar impacto no corpo e energia.

Stress e o corpo

Stress, que é visível ou não, tem uma resposta fisiológica no corpo e na energia.

No tipo de resposta “luta ou fuga”, o corpo pede mais produção de energia na tentativa de lidar com a situação, o que requer mais nutrientes.  Não só são necessários mais nutrientes para lidar com esta necessidade acrescida de energia, como também os nutrientes são necessários para suportar o sistema hormonal. Assim que a resposta “luta ou fuga” entra em ação, há uma libertação de hormonas por parte da suprarrenais. São as mesmas hormonas que durante o dia nos mantem ativos e acordados.

Obviamente com o aumento do stress diário estamos a usar recursos que de outra forma seriam usados para gerir o sistema hormonal. Talvez seja uma das razões porque nos sentimos exaustos, não só porque sentimos stress real ou percecionado em maior escala e também porque não temos nutrientes para colmatar a situação. Quando não damos ao corpo o que ele precisa, ele não funciona bem e leva muito mais tempo para recuperar.

Stress e a energia

Stress tem um impacto em todos os sistemas no corpo e afeta as pessoas de diferentes formas.

Normalmente sentimos exaustão depois do elemento “stressor” ter passado e já não é necessário manter o estado de “luta ou fuga”. Contudo, o que isto significa, é que o estrago já está feito.

No entanto parecendo ou não que os seus níveis de stress estão fora de controlo, há alguns elementos “stressores” que podem ser ativamente controlados. Se notamos que nos sentimos ansiosos ou stressados, então faz sentido centrar-se naqueles, para os minimizar.

  • Stress ambiental – estamos cheios de toxinas em nossa volta! Tendencionalmente procurarmos estimulantes durante o dia que podem ser: bebidas alcoólicas, café, produtos refinados e açúcar. Pois bem, aqueles colocam stress no fígado e intestinos, pelos que devemos evitá-los.
  • Stress físico – exercício físico com a intensidade exata para o seu estilo de vida é fantástico e é um exemplo de expor o corpo ao stress certo para uma adaptação positiva para que as mudanças ocorram.

Contudo, quando nos sentimos com níveis de stress elevados, exercício físico extenuante é muito para o nosso corpo. Para algumas pessoas é mais vantajoso uma caminhada, ou uma boa sessão de ioga, em vez de um exercício de alta intensidade.

  • Stress emocional – Pensamentos e emoções que advém de diversas causas: luto, trabalho, família situação financeira podem criar níveis elevados de stress na nossa vida. Este é sem dúvida um exemplo do que se pode chamar stress percecionado. Estimula as mesmas respostas que o stress real, e o corpo prepara-se da mesma forma sendo que tecnicamente o perigo não existe.

Muito do nosso stress emocional é evitável, mas o que podemos controlar é como o nosso corpo reage e coopera como stress. Criar um espaço/tempo à sua medida para aquietar a mente, pode ser uma atividade que ajude a gerir o corpo para se manter calmo e adaptado ao stress.

Perceber o nosso corpo e desbloquear a energia que precisamos, são aspetos muito importantes para ganhar consciência corporal.

Afinal ter a energia que precisamos para fazer aquilo que mais gostamos é o melhor que podemos dar a nós próprios.

 

Aldina Costa

The TransforACtion Coach

Esta entrada foi publicada em Coaching com as tags , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *