CNV – Como criar conexão para prevenir e resolver conflitos

Conflitos surgem quando há necessidade de escolha entre situações que podem ser consideradas incompatíveis. Podemos dizer que há desconexão entre as duas partes e a tentação é encontrar uma solução. Muitas vezes conversamos, argumentamos sucessivamente e o assunto parece não ter fim. E passamos a outro, e a outro…

Um possível desfecho inspirado na filosofia da CNV é passar o tempo que for necessário a criar conexão. Ao perguntar e responder questões determinam-se quais são as “precisões” e as “solicitações” de ambas as partes. Cria-se a “relação” indispensável para uma conversa. Uma vez encontrada a conexão podemos avançar para as soluções. Quando estamos conectados estamos na mesma equipa, somos colaborativos no encontro das soluções, e como tal, elas duram e são efetivas. Se tentamos encontrar as soluções sem criar a relação necessária, ocupamos muito tempo e energia e o mais importante – “as precisões” – não estão encontradas. De que “precisões” estamos a falar?

Não se trata de comida, água, ar… Mas de necessidade de soluções criativas, amor, conexão, intimidade, autonomia (sentido de escolha) sobre como lideramos a nossa vida. Estas são necessidades/precisões universais. Quantas vezes não dizem: O que eu precisava era de… ! E no nosso íntimo sabemos que o que dizemos nem sempre corresponde ao que queremos.
Para cada tipo de necessidades/precisões temos muitas estratégias, no entanto, a maneira como as satisfazemos é muito importante. É a este nível que podemos falar de “sensações e ou emoções” universais. Na presença de um possível conflito se saltamos de imediato para soluções sem saber quais são as precisões/necessidades subjacentes é uma receita para não encontrar a resolução.
Se observamos com atenção verificamos que o conflito está sempre ao nível da estratégia e nunca ao nível das precisões/necessidades e é assim porque todos temos as mesmas necessidades. São UNIVERSAIS.

Então:
• Passar o tempo que for necessário a criar a conexão;
• Conectar-se e manter-se conectado ao nível das precisões e sensações antes de delinear uma estratégia;
• O acordo mútuo acerca das “precisões” envolvidas é encontrado.

Este critério tem que ser entendido. Sem perceber “as necessidades” é muito natural resistir e passar de imediato para as soluções. Até é muito natural nem confiar nem aceitar esta ideia!
Na ausência de aplicação deste critério podemos ter a mais pura da intenções e podemos muito bem tornar tudo pior. Quando bem entendido e aplicado pode aumentar a qualidade das nossas relações quer pessoais quer profissionais.
O que podemos fazer?
Observamo-nos: estaremos a saltar de imediato para as soluções?

Esteja disposto a ir devagar e criar a conexão primeiro!

Esta entrada foi publicada em Coaching com as tags , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.