Mindfulness versus Mindlessness

Há muito tempo que monges e pessoas místicas usam as praticas de meditação para dissolver a fusão entre o pensamento e o pensador, impulso e ação, libertando a mente de algumas limitações e distorções.

“Estar no presente” é a frase que muito se ouve. A ideia é que a mente indisciplinada é facilmente distraída, no vai e vem entre o passado e o futuro, pegando em memórias do passado e de certa forma projetando-as no futuro. É só quando estamos no presente, sintonizados com o agora que podemos lidar com o momento de uma forma emocionalmente ágil. Esta é a técnica do “mindfulness”.

Há um sem fim de benefícios de praticar esta técnica. Infelizmente o termo tornou-se um chavão, especialmente no seio das organizações, e nota-se uma certa reação negativa.

Para muitas pessoas, a prática parece envolta numa linguagem floral à volta de lugar distante.

Talvez por isso seja mais fácil perceber o que é mindfulness se nos centramos no seu oposto: mindlessness.

Mindlessness é o estado de inconsciência e auto piloto. Não se está realmente presente. Em vez disso estamos profundamente dependentes de regras rígidas ou coisas banais que não pensamos.

Sabemos que estamos mindless quando:

  • Quando nos esquecemos de nome de alguém logo que o ouvimos;
  • Quando se deita para o lixo uma coisa e guarda os papeis que o embrulham;
  • Se não se lembra se fechou a porta de casa;
  • Quando está focado no que há de vir e se esquece do que precisa neste momento.
  • Quando se come ou bebe sem realmente ter fome ou sede
  • Sente uma emoção sem saber de onde ela veio.

Por oposição, o estado de mindfulness permitem-nos observar os pensamentos e as emoções inconfortáveis, em vez de nos emaranhamos nelas.  Quando estamos conscientes da nossa irritação, podemos observar essa emoção com sensibilidade, foco e clareza emocional. Talvez até descobrindo de onde é que a irritação vem. Até podemos descobrir que a “irritação” é realmente tristeza ou medo.

Mas a consciência calma – de apenas SER – que é associada com o cerne da “mindfulness” não vem facilmente para muitos.

Aldina Costa

The TransforACtion coach

 

Fonte: Emotional Agility de Susan David
Esta entrada foi publicada em Coaching com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.